O que acontece com o organismo após a ingestão de álcool

Você já parou para pensar como o álcool passa para o sangue? Se engana quem pensa que é somente através da boca ou do estômago. É verdade que o organismo absorve as moléculas do álcool logo após o primeiro gole, devido algumas mucosas da boca e de algumas paredes do estômago, porém, a grande porcentagem (75%) entra no sangue através do intestino delgado.

A partir de então, a distribuição do álcool pelo organismo é rápida: as moléculas do álcool viajam pela corrente sanguínea e atingem órgãos como o fígado, os rins, os pulmões e o cérebro.

Fígado e Rins

Como o corpo não pode armazenar o álcool, o fígado vai ter de trabalhar para metabolizar e, assim, conseguir eliminá-lo. Mas esta espécie de filtro do nosso organismo tem limites: só consegue metabolizar uma determina quantidade de álcool de cada vez.

Por isso, quanto mais álcool ingerirmos, mais tempo o fígado vai demorar a processá-lo. O tempo depende de fatores vários, mas uma dose de bebida alcoólica pode levar três horas para ser eliminada. E não há jeito de acelerar este processo.

Os rins também são afetados pelo álcool. Eles são responsáveis por filtrar o nosso sangue e trabalham para manter constante o volume de água no organismo. Enquanto os nutrientes bons são reabsorvidos para o sangue, os maus (e, sim, o álcool é um deles) são eliminados via urina. É por isso a vontade constante de fazer xixi após o consumo de álcool.

Veja também: Por que o álcool pode matar?

Cérebro

O cérebro é fortemente atingido pelas bebidas alcoólicas e o principal responsável pelas mudanças de comportamento, começando com os efeitos estimulantes (a alegria inicial, a desinibição), depois com os efeitos depressores (o descontrole, a falta de coordenação motora e de autocontrole).

A euforia dá-se porque, ao chegar ao cérebro, o álcool produz uma dose extra de serotonina (um neurotransmissor que regula o prazer e o humor). Mas essa é apenas uma das várias consequências do álcool no cérebro. Algumas podem, inclusive, deixar graves lesões.

Na realidade não há nenhuma parte do cérebro que escape à ação nociva do álcool: com o impacto no córtex cerebral, ficamos mais lentos para processar a informação que nos chega através dos sentidos e pensamos com menos clareza; as emoções e o esquecimento são efeitos provocados pela “interferência” com o sistema límbico. Por fim, a descoordenação e os desequilíbrios tão caraterísticos de quem bebe traduzem a resposta do cerebelo ao álcool.

Efeitos da ressaca

O corpo perde muita água no ato de consumir bebidas alcoólicas, por isso o organismo fica desidratado e dá muita sede durante a ressaca. Como se não bastasse, ao desidratar o corpo, as moléculas de álcool diminuem a coagulação do sangue. Consequência: o fluxo sanguíneo no cérebro abranda, os vasos sanguíneos dilatam-se e as dores de cabeça aparecem.

Veja também: O que é coma alcoólico?

Dados: site jornalíssimo

Comments are closed.