Vício em álcool: como a família pode ajudar

O passo mais difícil para uma pessoa viciada em álcool é assumir o problema. A família, então, passa a tentar convencê-la de que precisa de tratamento, porém, a resistência continua na maioria das vezes.

Para a terapeuta e coach Erica Aidar, o que os familiares devem fazer é procurar uma associação ou grupo de apoio para receberem orientações de como lidar com o alcoolismo, considerado a “doença da negação”, pela dificuldade da pessoa em admitir o vício.

A terapeuta dá algumas dicas para minimizar os danos psicológicos em parentes que sofrem com o vício em bebidas alcoólicas:

Apoie o familiar:

É importante fazer com que a pessoa se sinta aconchegada e acolhida em casa, mas deixe claro que o vício não é bem-vindo.

Incentive a buscar um profissional

O fato de seu familiar beber, não significa que você é o culpado. Mostre para ele o quanto se importa e o quanto é importante para você e para ele a ajuda de um especialista.

Não incite o vício:

Evite criar situações que propiciem uma recaída para o alcoolismo. Evite ainda levar em bares, comprar bebidas alcoólicas ou até mesmo as oferecer em comemorações e eventos. Mantenha-o responsável por suas próprias ações.

Sempre por perto

Busque ajuda de um profissional e participe de reuniões de AA (Alcoólicos Anônimos) junto com o parente. Quanto mais próxima a família estiver, maiores são as chances de que a pessoa não desista do tratamento.

Fonte: Revista Viva Saúde